Há um dia em que o teatro é das crianças (e elas até têm um DJ)

Susana Menezes, programadora do Maria Matos, fez de domingo um dia em que os miúdos têm à sua espera teatro, dança, oficinas e espaços onde habitualmente não entram

Acontece uma vez por ano. O Teatro Maria Matos, em Lisboa, prepara um dia dedicado às crianças e às suas famílias. Chega no domingo O Dia em Que o Teatro é das Crianças, e entre as 11.00 e as 18.30 elas têm à sua espera um ateliê de tipografia, espetáculos de teatro e de dança, ou um DJ set "para crianças e alguns adultos". A programação tem uma assinatura: a de Susana Menezes, responsável pelos projetos para crianças no Maria Matos.

"Há uma enorme responsabilidade quando se programa para crianças e quando se pensa que arte é que nós mostramos, pensamos, produzimos e criamos tendo-as a elas como público-alvo", diz. Quando lhe pedimos para descrever o ambiente nos outros anos em que o teatro dedicou um dia inteiro às crianças, Susana responde que este é "sobretudo um dia de encontro entre pais, meninos, amigos, colegas, de encontro com os artistas, e de encontro com o espaço que é o Teatro Maria Matos e com a sua programação. O ambiente é muito divertido".

Procura depois o seu telemóvel para mostrar um vídeo. Não era de um desses dias, mas de um outro em que o radialista Pedro Ramos pôs música para as crianças. É o que fará no domingo, às 17.30, desta vez não ao ar livre, mas no palco da sala principal. Pais e filhos dançam, num rodopio muito diferente do de uma discoteca. "Foi um sucesso. Os pais dançavam com os filhos, sozinhos, uns com os outros, os miúdos juntos. É sobretudo um sítio onde os pais e as crianças se podem divertir em conjunto. Acho que há poucos espaços desses", considera a programadora.

Nos camarins e salas de ensaio

Desta vez, no DJ set de Pedro Ramos - voz conhecida da Rádio Radar - haverá luzes e o palco estará fechado: "uma ideia de black box a que não estamos habituados", adianta Susana. Na verdade, também isso faz parte da programação do dia: conhecer lugares do teatro que habitualmente nem crianças nem adultos frequentam. Há uma oficina de teatro nos camarins e, por exemplo, o espetáculo de dança Por esse mundo fora, de Márcia Lança e Nuno Lucas, acontecerá na sala de ensaios.

Por Esse Mundo Fora. "É assim que os meninos vão, é por essa vida fora. Enquanto para nós, adultos, é muito mais claro o que vamos estar a fazer no próximo ano, eles sabem que a vida deles é o mundo inteiro, que está disponível para os receber." No domingo, esse mundo passa, ou começa, no Maria Matos, com programação para diferentes idades (essa informação pode ser consultada no programa).

"Há uma ideia de programa intenso e de qualquer coisa que vai acontecer. Depois, há a ideia de fazer um dia como este em que é tudo gratuito, as pessoas podem vir sem essa questão de quanto é que isto vai custar. No fundo, é democratizar um pouco este acesso ao interior do teatro e à sua programação", diz Susana.

Daqui Vê-se Melhor, a peça com texto de Isabel Minhós Martins e desenhos de Bernardo Carvalho - ambos da editora Planeta Tangerina -, interpretada por Suzana Branco, regressa ao Maria Matos, onde se estreou em 2010, mas desta vez num avançado do palco, diz a programadora. A peça, que conta a história do teatro no Ocidente, indica ainda um outro "ver melhor": o das crianças. "Se calhar elas, do seu lugar, veem muito melhor, ou com outros olhos, tudo o que está à sua volta", alvitra.

Continuamos a percorrer o programa, que decorre ao longo do dia, e do espaço que é o teatro. No cais de carga haverá uma oficina de tipografia. A ideia? "Produzir um manifesto para reivindicar que haja espaços para as crianças: o espaço cultural das crianças na cidade é extremamente importante." O foyer estará ocupado pelas cores de objetos de plástico encontrados por Ana Pêgo e Vanda Vilela nas praias próximas de Lisboa. Daí resultará uma instalação feita com os miúdos. "O objetivo do Picasso era voltar a pintar como uma criança. Ninguém, tanto quanto as crianças, consegue ter esta capacidade de reinventar, a partir do que são objetos que aparentemente para nós não têm grande valor."

O dia em que o teatro é das crianças

No domingo entre as 11.00 e as 18.30 no Teatro Maria Matos, em Lisboa.

Entrada livre (sujeita à lotação).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG