David Bowie e Linda Martini no Doclisboa'16

Os Linda Martini, Paul Thomas Anderson e David Bowie são alguns dos nomes que integram a programação da área da música do festival Doclisboa"2016, que vai decorrer de 20 a 30 de outubro.

Em julho último, a organização do certame dedicado ao documentário, tinha anunciado que os principais vetores desta 14.ª edição seriam a retrospetiva da obra de Peter Watkins, a intervenção do "documentário ficcionado", a revolução de Cuba e novas expressões cinematográficas.

Da responsabilidade da Apordoc - Associação pelo Documentário, o festival decorrerá na Culturgest, Cinema São Jorge, Cinemateca Portuguesa e no Museu Calouste Gulbenkian, tendo a retrospetiva de Wattkins sido apresentada em julho.

Na secção Heart Beat dedicada à música está prevista a abertura, com a apresentação do filme Sons do Gueto, de Tim&Barry, Reino Unido (2016), com o foco no duo artístico Tim&Barry, conhecidos como Just Jam, responsáveis por Sons do Gueto.

O Dia em Que a Música Morreu, de Bruno Ferreira, Portugal (2016), curta-metragem também incluída no programa, surgiu de uma ideia original do realizador com o grupo Linda Martini, banda portuguesa de rock com influências de post-rock e punk.

O filme tem a participação do Grupo Coral do Sindicato dos Mineiros de Aljustrel e da companhia de teatro de marionetas Chilena Silencio Blanco.

Esta sessão especial conta com apresentação dos Linda Martini e com uma seleção de 'videoclips' nacionais feita e comentada pelos músicos, seguida de uma festa na qual todos os elementos da banda vestem a pele de DJs.

David Bowie - gigante da música falecido em janeiro deste ano - é o "fantasma" do filme Man With a Hundred Faces or The Phantom of Herouville, de Gaëtan Chataigner, França (2015), que segue o rasto do cantor e compositor britânico.

O filme conta com participações de David Bowie, Lou Doillon, Alain Chamfort, Chilly Gonzales, Barbara Carlotti, Jeanne Added, Bertrand Belin, Mathieu Saïkaly, Théodore, Paul & Gabriel, Aquaserge, e Modooïd.

O amor e as relações no mundo do "funk da favela" - música pornográfica dos bairros pobres do Rio de Janeiro - está em foco no filme Inside the Mind of Favela Funk, de Fleur Beemster e Elise Roodenburg (Holanda, 2015).

No filme mostra-se a perspetiva da juventude da favela, procurando encontrar a relação entre as letras do funk da favela e as suas vidas - amorosas - pessoais quotidianas, dominadas por uma subcultura sem lei de bandos de traficantes de droga, violência e sexo, segundo a sinopse do festival.

Em Junun, de Paul Thomas Anderson (EUA 2015), o marajá de Jodhpur, na Índia, recebe Shye Ben Tzur, Jonny Greenwood (dos Radiohead), Nigel Godrich, Paul Thomas Anderson e vários músicos indianos.

"Nas três semanas seguintes dá-se azo a uma colaboração festiva que se torna na música e no filme Junun (loucura do amor), ponto de encontro transcultural e transreligioso entre o Islão místico dos sufi, qawwali e músicos ciganos do Rajastão, entrelaçados com poesias devotas em urdu, hebreu e hindi", descreve a organização sobre este filme.

Ainda na programação da música está prevista a exibição de Las más macabras de las vidas, de Kikol Grau (Espanha, 2016), Confession of the Vanished, de Petr Vaclav (França e República Checa, 2016), Fonko, de Göran Hugo Olsson, Daniel Jadama, Lars Lovén (Suécia, 2016), I Am the Blues, de Daniel Cross (Canadá, 2016), e Esto es lo que hay, de Léa Rinaldi (França, 2015).

A programação da 14.ª edição Festival Internacional de Cinema documental de Lisboa teve uma antecipação na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, a 23 de julho, com a exibição das curtas-metragens do cubano Santiago Alvarez Noticiero 49 e Now!, e de The war game, 'docudrama' do britânico Peter Watkins, sobre a perspetiva de uma guerra nuclear.

Mais Notícias