"de 1940 a 2017" apresenta trabalhos recentes de Cruzeiro Seixas

O artista plástico Cruzeiro Seixas, de 96 anos, vai apresentar trabalhos desde os anos 1940 até aos mais recentes, realizados este ano, na galeria O Rastro, na Figueira da Foz, numa exposição que inaugura no sábado.

De acordo com a galeria, este nome maior do surrealismo português continua ativo e vai estar presente na inauguração desta exposição, às 18:00, na Figueira da Foz, oito anos após a sua última mostra.

Na exposição intitulada de 1940 a 2017, Cruzeiro Seixas apresentará trabalhos realizados nos últimos anos, bem como colagens, objetos, desenhos, têmperas e guaches realizados ao longo de uma carreira de 77 anos.

Nascido em Lisboa em 1920, "foi um dos artistas que mais intensamente marcaram os ainda pouco estudados caminhos do Surrealismo português", refere Bernardo Pinto de Almeida, na recém-lançada Arte Portuguesa no Século XX, Uma História Crítica.

Artur Cruzeiro Seixas participou, em 1948, na criação do segundo grupo surrealista português, juntamente com António Maria Lisboa, Cesariny, Mário-Henrique Leiria e Pedro Oom, entre outros.

Em 1952 fixou-se em Angola e realizou ali exposições, regressando a Portugal quando a guerra eclodiu, e viajou por vários países da Europa, onde reforçou relações com destacados membros do Movimento Surrealista Internacional.

Cruzeiro Seixas também é poeta, com diversa obra publicada, foi programador artístico, sendo responsável pela "descoberta" de artistas como Paula Rego e Mário Botas e pelas primeiras exposições em Portugal de artistas internacionais como Poliakoff, Michaux e o grupo Cobra.

Cruzeiro Seixas foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e realizou dezenas de exposições em cidades de todo o país, em Paris, Bruxelas, Londres, Chicago, Amesterdão, Montreal, e ainda em Espanha, Brasil, Alemanha, República Checa e México.

Está representado em coleções privadas e públicas, como a Fundação Calouste Gulbenkian e o Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado.

Em 2009 foi condecorado pelo Presidente da República com o título de Grande-Oficial da Ordem Militar de Santiago de Espada.

A exposição organizada pela galeria O Rastro em parceria com a lisboeta Artview, Art Advisory - decorre até ao dia 04 de junho.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG