Até o Charlie Chaplin vai a este festival de cinema para famílias

O Cinema São Jorge recebe neste fim de semana e no próximo o Play, festival pensado para bebés e crianças até aos 13 anos.

Quando um grupo de quatro rapazes encontra um fóssil que o leva numa viagem pela pré-história até ao início dos tempos, o que pode acontecer? E o que poderá contar o marciano Phil sobre a vivência no planeta vermelha agora que vive na Terra? São muitos os desafios à imaginação propostos pelas dezenas de filmes que nos próximos dois fins de semana vão passar pelas várias salas do Cinema São Jorge, em Lisboa, e pela Cinemateca Júnior, durante o Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa, Play, pensado para bebés e crianças até aos 13 anos.

Para famílias ao fim de semana, dias 17, 18, 24 e 25 de fevereiro, e para o público escolar durante a semana (de 19 a 23), começa amanhã, logo às 9.30, com as sessões para bebés, de entrada gratuita para pais e filhos. "São sessões muito curtas, de 15 minutos e num ambiente muito descontraído em que as crianças podem falar e andar pela sala. É uma primeira aproximação ao cinema, mais um convívio", explica Catarina Ramalho, uma das três diretoras da Tecla Play Associação Cultural, organizadora do festival. Com a experiência das quatro edições anteriores, Catarina Ramalho diz que estas são as sessões mais fortes do festival. "Há pouca oferta deste tipo e os pais têm muito medo de levar os filhos [ao cinema] porque eles se vão portar mal ou vão falar. Aqui não há problema que isso aconteça".

Catarina Ramalho, produtora de cinema e televisão, a designer Dania Afonso e a professora primária Teresa Paiva escolhem os filmes, normalmente com um ou dois anos, que lhes chegam ou que encontram noutros festivais do mesmo género. A mensagem, o valor didático e a qualidade estética são fatores que pesam na seleção, bem como aquilo que, na opinião deste trio, "é o mais interessante no universo das crianças". Quanto a temáticas, Catarina Ramalho avança que "o ser diferente" é a mais recorrente.

Desafiada pelo DN, a produtora destaca alguns momentos em cada uma das faixas etárias para as quais o festival está pensado, para além das já referidas sessões para bebés.

Dos 3 aos 5 anos

Para esta faixa etária, as sessões duram cerca de 45 a 50 minutos e contam com nove curtas metragens agrupadas por temáticas como Aventuras, Descobrir ou Histórias do Bairro. Catarina Ramalho destaca duas outras. Pequeno Grande (18 de fevereiro, às 16.15; 24 de fevereiro, às 15.00 e 25 de fevereiro, às 11.15). "É uma sessão que lida um pouco com as coisas que estarão a aprender na escola: as diferenças, o mais alto, o mais baixo, o maior, o mais pequeno", explica.

Dos 6 aos 9 anos

Com curtas um pouco mais longas do que as selecionadas para a faixa etária dos 3 aos 5 anos, cada sessão dura uma hora e aqui Catarina Ramalho destaca a sessão Histórias do Outro Mundo, "que nos leva para o mundo da imaginação e para situações diferentes". Acontece a 18, às 15.00, e a 25, às 11.30. Outra sessão a não perder, na opinião da produtora, tem por título Imaginar e inclui várias curtas metragens que não são de animação. "Não é muito fácil encontrar filmes de imagem real para crianças. O mais fácil é ser a animação, mas aqui conseguimos juntar várias", sublinha. De entre as curtas metragens desta sessão destaca a do realizador brasileiro Gustavo Teixeira: Médico Monstro. "É a história de um rapaz que, ao contrário dos seus colegas que querem ser astronautas ou médicos, ele quer ser especificamente médico de monstros", avança Catarina Ramalho. Passa no dia 24, na sessão das 11.30.

Dos 10 aos 13 anos

Aqui, a sessão "mais especial", segundo a produtora, é a longa metragem Do Meu Tamanho, que conta a história de Michael, um rapaz que supostamente era órfão. Afinal, descobre que o pai existe mas é anão. "Ele passa o filme todo a querer ter um pai mas o pai é diferente e não é aceite, algo que ele consegue superar. O filme é muito divertido, em termos de realização. Podia ser uma coisa mais dramática mas é um bom momento. Não saímos mal dispostos do filme", garante. Passa no dia 18, às 16.30.

Os ateliês e as duas sessões especiais na Cinemateca Júnior, numa homenagem ao realizador Karel Zeman, que trabalha a animação com a imagem real, são outros destaques da programação que tem logo no primeiro dia um dos pontos altos: a projeção do filme O Circo, de Charlie Chaplin, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O cine-concerto, com Márcia e Tomara, "é uma oportunidade única de ver o Charlot no grande écrã", realça Catarina Ramalho.

Festival Play
Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa
Dias 17, 18, 24 e 25 de fevereiro Cinema São Jorge, Lisboa

Bilhetes por sessão:
Grátis até aos 2 anos; Crianças: 1,9 ; Adultos: 3,5 ; Pack 10 bilhetes: 19
Ateliês no São Jorge: 7
Ateliê na Cinemateca Júnior: 2,65 Cine-concerto: 7

Consulte aqui o programa completo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG