As musas romanas no Passeio do Prado

Qual o papel feminino na sociedade romana? Há uma exposição em Madrid para ver...

Afastada da vida pública, a mulher romana tinha como missão ser boa mãe e esposa mas nem por isso deixou de ser uma pessoa poderosa. A sua importância estava sempre associada ao homem (pai, marido ou filho) e ela podia ter a sua fortuna e administrá-la. A exposição Mulheres de Roma (Caixa Forum Madrid) mostra a figura da mulher na antiga Roma, sempre no âmbito doméstico, que teve um papel destacado em comparação com outras sociedades antigas. É um percurso através de 178 peças cedidas pelo Museu do Louvre, 47 restauradas para esta mostra. Pinturas, esculturas e objetos, que adornaram os espaços públicos e privados, e aprofundam a sua imagem feminina, diversa e plural.

A mulher romana foi maternal, sedutora, excessiva. Era objeto de amor e temor, de desejo e de desprezo. Daniel Roger, comissário da exposição com Aurélie Piriou, sublinha o estatuto de privilégio da mulher em Roma traduzido em distintas representações através de "mitologia, religião e força materna, e uma alegoria da sedução e o excesso". Roger, conservador chefe do departamento das antiguidades gregas, romanas e etruscas do Louvre, acentua também "a mistura de materiais" que encontramos na exibição, "muito rica e interessante". Piriou destaca as diferentes facetas da mulher, que "tinha um papel importante e existiam espaços reservados para ela". Em Roma existiam dois tipos de mulheres, por um lado as respeitáveis (matriarca da família) e, por outro, as escravas e prostitutas.

"A mulher de Roma é uma figura bastante desconhecida", sublinha Eva Nogués, do serviço educativo de Caixa Forum. "A mulher era inferior ao homem segundo as leis e era juridicamente igual às crianças. Mas não estava reprimida, tinha alguns privilégios", ajunta. Desde uma respeitável parteira, uma sacerdotisa ou uma imperatriz, o seu papel subordinado ao homem não impediu chegar a uma posição bastante mais digna da que tinham as mulheres na maioria das culturas antigas. Na sociedade romana houve uma evolução na condição da mulher, percetível nos costumes e na mentalidade.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG