Angoulême: afinal vai haver mulheres finalistas

Festival de BD recua e vai incluir autoras entre os candidatos ao grande prémio

O Festival Internacional de Banda Desenhada de Angoulême, marcado para o final deste mês em França, está a ser acusado de sexismo por não ter incluído qualquer mulher na lista de finalistas candidatos ao Grande Prémio. Inicialmente desvalorizou as críticas mas acabou por recuar e incluir mulheres nos finalistas. A lista será "alargada", anunciou hoje ao início da tarde a organização, sem indicar a proporção de autoras que vão figurar na listagem final, apenas garantindo que os finalistas já anunciados se vão manter, anuncia o Le Monde.

A organização do festival divulgou na terça-feira a lista de trinta autores finalistas ao Grande Prémio - um galardão que distingue um percurso de uma personalidade na banda desenhada - e dela fazem parte nomes como François Bourgeon, Stan Lee, Milo Manara, Lorenzo Mattotti, Frank Miller, Cosey, Alan Moore, Quino, Chris Ware e Jirô Taniguchi.

A ausência de qualquer autora de banda desenhada suscitou críticas por parte de vários nomeados. Pelo menos dez nomeados anunciaram a intenção de se retirarem da seleção do Festival Internacional de Banda Desenhada de Angoulême: Riad Sattouf, Joann Sfar, Etienne Davodeau, Christophe Blain, François Bourgeon, Pierre Christin, Daniel Clowes, Charles Burns, Chris Ware e Milo Manara.

O caso foi denunciado ainda pelo coletivo feminino de banda desenhada BDgalite, que apelou a um boicote à votação, por ser discriminatória, e recordou que, em mais de quarenta anos, o festival de Angoulême atribuiu apenas uma vez o Grande Prémio a uma mulher, quando Florence Cestac venceu em 2000. Também a ministra da Cultura de França, Fleur Pellerin, considerou "bastante anormal" que nenhuma mulher figure entre os finalistas.

Inicialmente a organização rejeitou as críticas recordando que o Grande Prémio é um galardão de carreira, que distingue a obra de um autor e que, historicamente, a banda desenhada tem sido feita sobretudo por homens e, como tal, "não se pode alterar essa realidade", afirmou Franck Bondoux, da organização, citado pela France Presse.

De acordo com dados da Associação de Críticos e Jornalistas de Banda Desenhada de França, as mulheres representam 12,4 por cento dos profissionais de BD no mundo francófono.

O festival de Angoulême, considerado um dos mais importantes dedicados à banda desenhada, decorrerá de 28 a 31 de janeiro.

Os finalistas inicialmente anunciados foram:

Brian M. Bendis (EUA) Christian Binet (França), Christophe Blain (França), François Bourgeon (França), Charles Burns (EUA), Pierre Christin (França), Daniel Clowes (EUA), Richard Corben (EUA), Cosey (Suíça), Etienne Davodeau (França), Nicolas de Crécy (França), Edika (França), Carlos Gimenez (Espanha), Emmanuel Guibert (França), Hermann (Bélgica), Alejandro Jodorowsky (Chile), Stan Lee (EUA), Milo Manara (Itália), Taiyô Matsumoto (Japão), Lorenzo Mattotti (Itália), Frank Miller (EUA), Alan Moore (Grã-Bretanha), Quino (Argentina), Riad Sattouf (França), Joann Sfar (França), Bill Sienkiewicz (EUA), Jirô Taniguchi, Naoki Urasawa, Jean Van Hamme (Bélgica), Chris Ware (EUA).

Mais Notícias