Adele foi a grande vencedora dos Grammy

O artista britânico David Bowie, que morreu em janeiro de 2016, foi distinguido a título póstumo com quatro prémios

A cantora britânica Adele venceu este domingo cinco prémios na 59.º edição dos Grammy, incluindo os três principais: melhor álbum ("25"), melhor gravação e melhor canção do ano, ambos por "Hello". A cerimónia decorreu esta noite no Teatro Microsoft de Los Angeles, Califórnia.

Os seus rivais na categoria de melhor álbum do ano eram Beyoncé (Lemonade), Justin Bieber (Purpose), Drake (Views) e Sturgill Simpson (A Sailor's Guide to Earth), enquanto os seis concorrentes para o prémio de melhor gravação eram Beyoncé ("Formation"), Lukas Graham ("7 Years"), Rihanna e Drake ("Work") e Twenty One Pilots ("Stressed Out").

"Beyoncé, adoro-te, emocionas a minha alma todos os dias desde os meus 17 anos", disse a cantora que se tornou a primeira artista da história a alcançar a vitória nas três categorias principais pela segunda vez.

O artista britânico David Bowie, que morreu em janeiro de 2016, foi distinguido a título póstumo com quatro prémios, anunciou a Academia Nacional de Artes de Gravação e Ciência dos Estados Unidos.

Davie Bowie impôs-se nas categorias de melhor atuação rock, melhor álbum de música alternativa, melhor design de capa de disco (partilhado com o diretor artístico Jonathan Barnbrook) e melhor álbum de música clássica (em conjunto com Tom Elmhirst, Kevin Killen, Tony Visconti e Joe LaPorta), todos pelo seu último disco, "Blackstar".

Adele foi também uma das artistas em palco na atribuição dos prémios. A cantora, que já na edição do ano passado tinha tido problemas na sua atuação ao vivo, pediu para reiniciar o seu tributo ao cantor George Michael.

Adele parou de cantar "Fastlove" de George Michael, que morreu no Natal do ano passado, e atirou ao público: "Não posso estragar isto para ele". Depois retomou a música e obteve um forte aplauso da multidão.

Prince foi outro dos músicos homenageados, com Bruno Mars a interpretar à guitarra "Let's Go Crazy". A banda The Time - que colaborou com Prince - interpretou os temas "Jungle Love" e "The Bird".

Bruno Mars também foi um dos vencedores de domingo pelo seu trabalho na produção do álbum de Adele.

No início da cerimónia o produtor André Allen Anjos venceu um Grammy de Melhor Gravação Remisturada, tornando-se assim no primeiro português a ser distinguindo com um destes prémios de música.

André Allen Anjos, que em 2005 trocou o Porto pelos Estados Unidos, venceu na categoria de Melhor Gravação Remisturada com um 'remix' (remistura) do tema "Tearing me up", de Bob Moses.

O produtor português é um dos fundadores do coletivo RAC (Remix Artist Collective) e esta foi a sua segunda nomeação nos Grammy.

Lista dos premiados:

Álbum do ano: "25", Adele.

Gravação do ano: "Hello", Adele.

Revelação do ano: Chance the Rapper.

Melhor canção do ano (prémio compositor): "Hello", Adele e Greg Kurstin.

Melhor performance pop a solo: "Hello," Adele.

Melhor álbum pop: "25", Adele.

Melhor álbum pop tradicional: "Summertime: Willie Nelson Sings Gershwin", Willie Nelson.

Melhor performance duo ou grupo pop: "Stressed Out", Twenty One Pilots.

Melhor álbum de dança/eletrónico: "Skin", Flume.

Melhor canção rock: "Blackstar", David Bowie.

Melhor álbum rock: "Tell Me I'm Pretty", Cage the Elephant.

Melhor álbum de música alternativa: "Blackstar", David Bowie.

Melhor álbum R&B: "Lalah Hathaway Live", Lalah Hathaway.

Melhor álbum urbano contemporâneo: "Lemonade," Beyoncé.

Melhor álbum rap: "Coloring Book", Chance the Rapper.

Melhor álbum country: "A Sailor's Guide to Earth", Sturgill Simpson.

Melhor performance country a solo: "My Church", Maren Morris.

Melhor álbum jazz vocal: "Take Me to the Alley", Gregory Porter.

Melhor álbum jazz instrumental: "Country for Old Men", John Scofield.

Melhor compilação de banda sonora para visual media: "Miles Ahead", Miles Davis & vários artistas

Produtor do ano, não clássico: Greg Kurstin.

Melhor vídeo de música: "Formation", Beyoncé.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG